1º de abril: dia da mentira ou verdades?

1º de abril: dia da mentira ou verdades?

Não que seja ranzinza ou mal-humorado (apesar de ser os dois de forma crônica), mas aguentar mentirinhas de 1º de abril é pra quem tem sangue forte. O que gosto nessa data sem motivo de existir além das baboseiras culturais que tentam explicá-la, é como usam mentiras pra falar verdades e, quando o resultado não é esperado, tornam as verdades puras mentiras. Confundiu?

Ano passado, um “amigo” veio se declarar pra mim via Facebook. Amigo hétero, diga-se de passagem. Falou que não conseguia viver sem minha amizade, que era muito importante e que tinha muita curiosidade de me beijar, que se fosse fazer isso com um cara, gostaria que eu fosse o primeiro. Quando terminou, perguntou o que eu achava daquilo, se ele tinha chance.

Por que eu diria “não” pra um cara lindo e que se declarou numa bíblia quase escorrendo caracteres por falta de espaço da tela da inbox? Disse que sim, que tinha chances, que sempre o achei atraente, mas que entendia sua orientação sexual e que respeitaria nossa amizade acima de qualquer coisa. E, claro, disse que me sentiria muito honrado em tirar o BVM (Boca Virgem Masculina) dele. 
Óbvio.
Do mesmo tamanho que veio a mensagem inicial do moleque, veio a quantidade de “KKKKKKKKK” logo depois de eu ter teclado enviar. “TÔ BRINCANDO”, exclamou ele com o Caps Lock ligado, “É 1º DE ABRIL! KKKKKKKK”. Deus, como sou grato por termos evoluído dos neandertais parar podermos criar o monitor, porque aqui na minha cadeira, eu tava com a cara mais no chão do que a Jennifer Lawrence no Oscar.

Como pude esquecer?! Era 1º de abril, poxa! Por que diabos essas pessoas faziam isso, de inventar mentiras apenas pra nos deixar desconfortáveis a níveis como esse?! Já não bastavam as mentiras que tínhamos de enfrentar (e até criar) no dia-a-dia? 
Me veio à mente que talvez fosse uma forma de aliviar uma verdade. No caso dele, não seria possível que o texto gigantesco fosse um “desabafo oficial não-oficial” sobre como se sentia em relação a mim, uma paixonite proibida? Porque o texto foi grande e bem sincero! Até ele desmentir… Tendo o poder de falar a verdade através de uma mentira apenas pra tirar o peso das costas e depois cobrir com outra mentira que anularia qualquer verdade, o 1º de abril se tornaria então O Dia das Verdades?
Pode ser, não tenho certeza. O que sei é que quiquei meus dedos no teclado ― com mais violência do que geralmente tenho quando o espanco ― e mandei um “KKKKKKKKKK EU TAMBÉM TE ZOEI, BURRO! FELIZ 1º DE ABRIL! KKKKKK”
Assim, mascarei minha verdade com uma mentira.
Te desejo muita paciência nesse “feliz dia 1º de abril”.